As Vias da Escória

Imagem

A miséria e a exclusão social são fenômenos sociais mundiais tão antigos quanto o ideal pela busca de uma sociedade equitativa. O excluído social não é somente aquele que sente fome, mas também o que enfrenta problemas psicológicos. Historicamente o índice brasileiro relacionado à pobreza é absurdo no norte e nordeste. Ela diminuiu acentuadamente nos anos 90, graças à criação de programas para o combate à miséria e resgate de pessoas. Santa Catarina não foge à regra, especialmente sua capital, Florianópolis. A cidade que é vendida como polo turístico e tem a imagem desde sempre associada à de um paraíso natural de perfeição social, serve de cenário para estes exilados da sociedade. Órgãos oficiais têm dificuldade de estabelecer o número exato de excluídos. E Isto em parte justifica-se pela existência de vários tipos de exclusão social. O principal deles tem origem financeira, diminuindo a autoestima do indivíduo. Mas também é motivada pelo precário sistema de saúde pública e o ensino gratuito que deixa muito a desejar. Para representantes dos governos federal, estadual e municipal, a reinserção social não depende apenas de melhorias nos sistemas de saúde e educação, mas também do estimulo à cultura. A exclusão humana nas ruas acontece devido à desestrutura familiar, falta de oportunidade profissional, desigualdade na educação, ao fácil acesso às drogas – resultando na dependência química – e, principalmente, à falta de amparo do Estado e de outros fatores. Basta andar pelas ruas para encontrarmos pessoas abandonadas de todas as faixas etárias, jogadas ao relento. O objetivo deste trabalho é revelar as condições de vida dos moradores de rua e humanizá-los dentro de seu cotidiano.

Eduardo Valente - (1) Continuar lendo